LinkedIn permite publicação para todos os usuários

Você costuma acompanhar novidades do mercado publicadas por grandes experts através do Linkedin? Também gostaria que seus conteúdos estivessem nessa rede? Agora é possível!

O Linkedin lançou recentemente sua plataforma de publicação para grande parte de seus usuários. Essa é uma oportunidade para quem quer seus conteúdos ao alcance do público presente no Linkedin, e também pode ser mais um canal a ser considerado na estratégia de Marketing Digital e Conteúdo da sua empresa. Utilizando essa plataforma é possível publicar no próprio Linkedin conteúdos mais longos que aparecerão para todas suas conexões e para quem lhe segue, sendo que esses textos passam a fazer parte do seu perfil, o que pode lhe tornar referência sobre os assuntos que escreve.

Para publicar um post é muito fácil, veja o passo a passo abaixo:

1 – Clique no lápis no box de compartilhar uma novidade (publish a post).

passo 1

2 – A próxima tela é o editor de texto, muito similiar a qualquer editor de blog. Escreva um texto sobre algo que você sabe muito bem, inclua links para conteúdos pertinentes, escolha um título atrativo, se tiver imagens para incluir use-as para ilustrar seu conteúdoe e não esqueça de incluir as referências quando citar conteúdos de outros autores.

passo 2

3 – Após o texto pronto e no ar ainda é possível editar em caso de algum equívoco de erro de digitação, falha nas imagens ou links corrompidos. Para isso, basta entrar na publicação clicar no botão update. O seu post estará atualizado e acessível no seu perfil e será compartilhado com todos seus contatos do Linkedin e com quem não é seu contato mas segue suas atualizações.

Evolução de SEO

SEO evoluiu de simplesmente ser usado para ser encontrado, a melhorar o modo como os usuários se envolvem com seu conteúdo. SEO é muito mais do que otimização para mecanismos de busca.

Você precisa otimizar pEvolução de SEOara os usuários em primeiro lugar, de modo que eles cliquem pela sua listagem até seu site e, uma vez que tiverem clicado, permaneçam lá.

Para manter os visitantes em seu site, assegure-se de estar publicando conteúdo de alta qualidade e relevante. Você também deve certificar-se que seu site é intuitivo e fácil de navegar (em outras palavras, acessível tanto por rastreadores quanto por usuários).Além disso, não faça com que os visitantes tenham que procurar pelo que precisam.

Forneça calls-to-action claras, e você converterá esses visitantes em contatos, leads e, eventualmente, clientes. O SEO, na realidade, deveria significar “Otimização da experiência de pesquisa”.

Saiba Mais

Uma Noção de SEO

Após visitar uma página na web, o robô do mecanismo de buscas a envia para uma imensa base de dados, trata-se de uma verdadeira biblioteca pública em constante expansão. Assim como um índice de um livro, o mecanismo organiza as páginas para que o conteúdo seja facilmente encontrado através das pesquisas, nesse ponto surgem os “algoritmos de buscas”, que procuram os termos da pesquisa feita por um internauta no índice e localiza as páginas mais adequadas para serem exibidas ao usuário em ordem de relevância.

O algoritmo do Google, por exemplo, segmenta as informações obtidas pelo googlebot por uma série de critérios, atualmente são mais de 200, dentre as quais se destacam: os termos usados nas páginas, a atualização do conteúdo, a região do usuário e ainda o conhecido Pagerank, um ranking baseado numa fórmula desenvolvida pelo Google que considera também uma série de informações sobre o site para classificá-lo com uma pontuação de 0 a 10.

O Google trabalha também com um poderoso sistema de cache que evita a demora no resultado da pesquisa, pois com esse cache a consulta à base de dados é reduzida tanto quanto possível. O mesmo também permite que o Google não tenha que atualizar as informações dos sites com a mesma frequência, permitindo que o googlebot aperfeiçoe seu trabalho para analisar sites que tenham mais atualizações e sejam mais relevantes às pesquisas. Esse sistema de cache é um mecanismo criado para acessar de forma rápida determinados dados sem ter de acessar o dispositivo original de armazenamento, ao invés disso, dispositivos mais rápidos são usados, servindo como intermediadores de acesso.

A Internet: “coisas e não palavras”

Nos primórdios da era da internet, quando as primeiras técnicas e regras sobre SEO estavam sendo projetadas e usadas, os buscadores adoravam as palavras. Porém, ao longo dos anos o movimento tem sido no sentido dos “conceitos”, ou seja, “coisas não palavras”.

As palavras na página realmente entram no jogo de SEO, mas o mais importante é identificar os conceitos de uma página ou um site. Isso ajuda a melhorar os resultados desse tipo de estratégia em um mundo comumente mais personalizado. Embora esta abordagem esteja mais relacionada aos elementos de classificação de uma página ou de um site, alguns fatores são extremamente relevantes para fazer com que a página seja realmente encontrada. Dois destes fatores são: Rastreamento (Crawling), a capacidade que o buscador tem de obter coisas acerca do site e Indexação (Indexing), buscando as páginas para o índice do buscador.

Atualmente, a maioria dos fatores pode ser tratada por ferramentas automatizadas fornecidas pelos principais buscadores. Pelo menos para que saibam que o seu site existe. O que não é tão evidente são o nível e a profundidade do rastreamento e indexação dado a um website. Isso pode ser atribuído a alguns fatores internos e externos ao site.

SEO – a teoria

SEO para Empresas

Continue lendo “Uma Noção de SEO”